Hirama Prótese Odontológica


Notícias

10 de Julho de 2017

Enzima natural descoberta por brasileiros pode transformar o tratamento da cárie


A professora de Odontologia e pesquisadora Drª Sandra Kalil é responsável pela pesquisa que descobriu o ‘Papacárie’, um gel à base de papaína, enzima extraída da casca do mamão papaia verde. Essa enzima tem ação seletiva e não ataca o tecido sadio dos dentes. Associada à cloramina, a papaína amolece a cárie que podem ser retirada com uma simples curetagem, evitando o famoso motorzinho ou a retirada desnecessária de dente sadio. A biodiversidade do Brasil é uma riqueza natural que pode, talvez, solucionar inúmeras doenças e problemas bacteriológicos ainda existentes neste século 21.

O cirurgião-dentista Zenildo Santos Silva Jr. fez uma parte do seu doutorado na Harvard School Medical, Massachusetts General Hospital, em Boston, nos Estados Unidos. Membro da equipe da pesquisadora Dra. Sandra Kalil, o aluno por meio da sua pesquisa constatou juntamente com professores de Harvard a eficácia do ‘Papacárie’.

O gel da papaína (PapaMBlueTM patente registrada) foi também experimentado no tratamento de lesões de cáries profundas. O ‘Papacárie’ ativado pela luz do Laser, em baixa dosagem, possibilitou a remoção simultânea da dentina infectada sem a necessidade do uso do motor odontológico sem dor, sem trauma e sem medo do dentista.

A técnica permite uma maior preservação das estruturas sadias adjacentes do dente, como a dentina e a polpa. Com maior efetividade, sem nenhuma anestesia, menor tempo de tratamento e uma maior ação antimicrobiana, esse procedimento também evita a progressão da doença no mesmo local.

Fonte: Dental Press


14 de Junho de 2017

Implantes de magnésio podem favorecer formação óssea


Um novo estudo sueco descobriu um método inovador para estimular a formação de osso: implantes de magnésio que se dissolvem com o tempo. Os pesquisadores descobriram que a liberação de magnésio promoveu rápida formação óssea e a ativação de sinais osteogênicos perto de implantes colocados em ossos osteoporóticos.

"Observamos que o material de implante desapareceu, formando cálcio e fosfato, que são semelhantes a estrutura óssea", afirma a pesquisadora principal Silvia Galli da Faculdade de Odontologia da Universidade de Malmö.

A utilização de implantes à base de magnésio poderia ser um método para a restauração de crânios após fraturas faciais, promovendo a formação de tecido ósseo como o implante se dissolve ao longo do tempo. De acordo com Galli, a quantidade de metal utilizada em implantes é tão insignificante que deixa o corpo sem traço do evento traumático ter ocorrido e sem quaisquer efeitos colaterais para os rins, ou a necessidade de um segundo procedimento cirúrgico para remover o implante, por exemplo.

Se o método poderia potencialmente ajudar a osteointegração ao redor de implantes dentários não foi abordado no atual projeto de investigação.

Fonte: Dental Tribune


13 de Maio de 2017

Reposição hormonal reduz periodontite em mulheres


A terapia de estrogênio é empregada em mulheres na fase na menopausa, visando diminuir os sintomas desagradáveis e comorbidades associados à fase. Um novo estudo demonstrou que este tratamento também poderia diminuir a prevalência de periodontite grave em mulheres após a menopausa. O estudo incluiu 492 mulheres na pós-menopausa, 113 dos quais receberam tratamento para osteoporose e 379 que não. Ele mostrou que aquelas que receberam estrogênio sistêmico sozinho ou estrogênio com progestina plus e suplementos de cálcio e vitamina D durante pelo menos seis meses tiveram menor perda de aderência periodontal, menos sangramento gengival do que as mulheres não estão recebendo tratamento para osteoporose. Em especial, a prevalência de periodontite grave foi 44% menor no grupo de tratamento da osteoporose do que no outro grupo.

Fonte: Dental Tribune


07 de Abril de 2017

Fumantes devem ter planejamento de implantes adaptado, segundo estudo


O sucesso global da cirurgia de implante não é afetado pelo fumo, segundo estudo chinês. Entretanto, o tabagismo leva o osso perimplantar a uma cicatrização mais lenta, ou seja, a osteointegração acaba por se completar mais tarde que no grupo de não-fumantes. Para aumentar as taxas de sucesso do tratamento, os cirurgiões necessitam compreender como o hábito afeta o processo de cicatrização.

Os cientistas analisaram grupos de fumantes e não fumantes por 12 semanas. Apesar dos implantes em ambos os grupos terem integração óssea ao final da 12ª semana, o processo de cicatrização diferiu significativamente entre os grupos. Nos não-fumantes, a osseointegração foi iniciada na segunda semana após a colocação. Já no grupo de fumantes, o processo iniciou-se na terceira semana. Fumar não teve efeito significativo sobre a placa bacteriana ou sangramento no grupo de estudo. Entretanto, os tabagistas apresentaram maior perda óssea ao redor dos implantes e bolsas mais profundas.

Os pesquisadores concluíram, portanto, que cirurgiões devem alterar seu planejamento padrão de carga do implante em pacientes fumantes. Além disso, estes pacientes devem estar cientes de que o hábito favorece complicações e até a perda do implante.

Fonte: Dental Tribune


07 de Março de 2017

Neuralgia do trigêmeo poderá ser combatida por nova substância


A neuralgia do trigêmeo é caracterizada por uma dor aguda e lancinante nos dentes ou em uma região facial, causada por uma irritação do nervo trigêmeo, o nervo craniano responsável pela inervação sensorial da área facial, partes do couro cabeludo e cavidade oral.

O tratamento padrão pode causar efeitos colaterais. Uma nova substância, entretanto, pode inibir a dor e é bem tolerada, conforme resultados iniciais de um estudo internacional envolvendo o Centro de Medicina Dentária da Universidade de Zurique.

Os sinais de dor atingem o cérebro através da ativação de canais de sódio localizados nas membranas das células nervosas. O canal de sódio “1,7” é freqüentemente expresso em nervos condutores da dor e quando há maior intensidade de dor existe uma ligação a uma maior atividade do canal. Assim, o bloqueio deste canal de sódio por um anestésico local inibe a dor.

A nova substância BIIB074 que foi testada neste estudo de fase II inibe o canal de sódio 1.7 dependente do estado, o que significa que quanto mais ativo este canal de sódio estiver, mais forte será bloqueado por BIIB074. Já os fármacos atualmente disponíveis bloqueiam o canal de sódio 1.7 independentemente da atividade do nervo, o que normalmente resulta em efeitos colaterais de sobrecarga.

“Ao contrário dos medicamentos convencionais, que muitas vezes causam cansaço e problemas de concentração, BIIB074 não só foi eficaz, mas também muito bem tolerado”, explica Dominik Ettlin, especialista em odontologia da UZH. “Vamos agora testar a nova substância em muito mais assuntos durante a próxima fase de estudo, o que irá revelar se a nova esperança de alívio da dor mais eficaz é justificada”, conclui.

Cerca de 13 pessoas em cada 100 mil são diagnosticadas com neuralgia trigeminal todos os anos.

Fonte: Dental Press


03 de Fevereiro de 2017

Fobia de dentista pode ser contornada por hipnodontia


Pacientes com fobia de tratamentos dentários tem na hipnodontia uma alternativa. A hipnose aplicada à odontologia colabora no controle da ansiedade no pré-atendimento clínico ou cirúrgico, assim como para realizar a anestesia, provendo maior conforto durante as consultas.

Durante a hipnodontia, o paciente não dorme, apenas entra em um estado alterado de consciência entre a vigília e o sono em que o senso crítico é afastado e a frequência cerebral diminuída. Desta forma, o paciente é beneficiado por um relaxamento profundo, enquanto o profissional realiza os procedimentos necessários.

A técnica é indicada para quem sofre de fobia de dentista ou de qualquer ferramenta ou objeto relacionado com a odontologia e outras áreas da saúde como sangue, agulha, anestesia, dor, ambiente, cadeira, etc. Além disso, também pode ser aplicada no controle de hemorragias e salivação, no controle do estresse em pacientes com bruxismo ou com algum problema de disfunção temporo-mandibular (DTM), recuperação pós-operatória e potencialização do sistema imunológico do paciente. A prática é reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Odontologia.

Fonte: Terra Saúde


12 de Janeiro de 2017

Implantes com revestimentos bioativos favorecem cicatrização


Um novo revestimento bioativo para implantes médicos, desenvolvido por cientistas russos, pode ser capaz de inverter o mecanismo imunológico responsável pela rejeição e incentivar a cicatrização ao redor dos implantes.

Os cientistas da Universidade Politécnica de Tomsk propuseram resolver o problema da rejeição do implante através do revestimento dos implantes com um composto biologicamente ativo análogo à interleucina-4. Esta substância é capaz de controlar o comportamento das células imunes inatas, os macrófagos, forçando a estimular o processo de cicatrização em vez de rejeitar o implante.

O revestimento pode ser usado para implantes poliméricos e de titânio, que são empregados em implantes odontológicos, bem como em cirurgias ortopédicas e orais. Por conseguinte, os cientistas russos esperam que o seu desenvolvimento seja universalmente aplicável em implantologia. Atualmente, eles estão na fase de sintetizar o composto e estão realizando experimentos para determinar a sua composição ótima.

Fonte: Dental Tribune


07 de Dezembro de 2016

Novo material restaurador promete tratar ativamente a cárie


Uma nova pesquisa conduzida pelo Instituto de Odontologia da Universidade Queen Mary, em Londres, apresentou os primeiros dados sobre restaurações dentárias que podem tratar ativamente a cárie. Os dados indicam que a reparação inteligente da cárie dentária prolonga a vida útil do compósito.

Enquanto as restaurações usuais incluem materiais inertes, os dados do novo compósito de vidro bioativo mostram que este interage de forma positiva com o organismo e estimula a substituição dos minerais perdidos devido à cárie dentária.

Esses novos compostos de vidro bioativo são os únicos capazes de liberar flúor e quantidades significativas de cálcio e fosfato, necessárias para a formação de novo mineral dental.

Fonte: Dental Press


02 de Novembro de 2016

Pesquisadores americanos identificam os genes da periodontite


Pesquisadores do Centro Médico da Universidade Columbia têm identificado 41 genes regulatórios que podem causar doença periodontal. A identificação dos genes representa uma etapa vital para desenvolver tratamentos individualizados da periodontite.

Com o objetivo de reconstruir de modo acurado as interações genéticas que conduzem à periodontite e identificar o gene individual que parece ter mais influência sob a doença, os pesquisadores do estudo reverteram a engenharia do perfil da expressão genética de um conjunto de dados. No geral, 313 amostras de tecido gengival foram obtidas de um estudo transversal de 120 pacientes com periodontite, sendo 70 saudáveis clinicamente e 243 com áreas gengivais afetada por periodontite.

“Nossa abordagem reduz a lista de interessantes e potenciais genes regulatórios envolvidos na periodontite”, disse o Prof. Panos N. Papapanou, que liderou a equipe de pesquisa da Faculdade de Medicina Dental do Centro Médico da Universidade Columbia. “Isto nos permite focar não no transcriptoma todo, mas em alguns genes que representam os papéis mais importantes neste processo”.

Muitos dos genes identificados por Papapanou e sua equipe estão envolvidos em traços imune e inflamatório, confirmando observações laboratoriais e clínicas sobre o desenvolvimento da doença periodontal.

A identificação dos genes regulatórios permitirá aos investigadores testar compósitos que interrompem suas ações para desenvolver tratamentos que paralisem a doença periodontal em estágio inicial.

Fonte: Dental Tribune


10 de Outubro de 2016

Fertilidade pode ser afetada por má saúde oral


Um recente estudo australiano apontou que uma higiene bucal falha pode afetar a capacidade feminine de gerar uma criança.

A pesquisa, realizada pela Universidade do Oeste da Austrália, avaliou cerca de 3,5 mil mulheres e percebeu que aquelas que tinham problemas bucais, principalmente inflamações gengivais, apresentaram níveis elevados de marcadores para inflamação no sangue.

Para os pesquisadores, esses problemas bucais podem atrasar em até dois meses o tempo que a mulher levaria para engravidar, passando de cinco, para sete meses.

As inflamações gengivais têm um histórico comprometedor quando o assunto é gestação – a periodontite tem o poder aumentar de 2 a 7 vezes o risco de parto prematuro por causar superirritabilidade da musculatura do útero, intensificando as contrações e a dilatação cervical”. Além de induzir o nascimento de crianças prematuras, a periodontite pode fazer com que elas nasçam bem abaixo do peso normal (com peso inferior a 2,5 kg).

É importante ressaltar que as mulheres grávidas ou que desejam engravidar devem comprometer-se com sua saúde bucal e realizar check-ups periódicos no dentista, pois as alterações hormonais, nutricionais, microbianas e metabólicas típicas da gestação deixam a mulher com maior predisposição às doenças gengivais e esse quadro não é bom para o bom andamento da gravidez.

Fonte: Terra Saúde


09 de Setembro de 2016

Imaginologia intraoral ganha novo sensor que promete elevar padrões


A Planmeca, empresa finlandesa, anuncia um novo sensor intraoral, o Planmeca ProSensor® HD, um sistema que promete oferecer uma combinação única de qualidade de imagem, design voltado para o paciente e usabilidade, estabelecendo um novo padrão para as imagens odontológicas.

Projetado pensando no conforto do paciente e na durabilidade, o Planmeca ProSensor HD tem as bordas arredondadas e está disponível em três tamanhos, além de capturar as imagens em poucos segundos.

Com resolução de imagem superior a 20 lp/mm, o novo produto apresenta sensor intraoral com uma camada de fibra óptica, que captura imagens nítidas com baixo ruído e alto contraste, permitindo um diagnóstico detalhado. A ampla gama dinâmica do sensor assegura a consistência dos resultados.

O sistema é compatível com Mac OS e Windows.

Fonte: Dental Press


02 de Setembro de 2016

Tumores colorretais podem ser agravados por microbiota oral


O câncer colorretal é uma das principais causas de morte nos Estados Unidos. Embora sua taxa de mortalidade esteja diminuindo devido à triagem e remoção de pólipos colorretais, estas ações preventivas ainda não são realizadas por todos.

Estudos anteriores realizados pelo Garrett Lab, do T. H. Harvard Chan School of Public Health, em Boston (EUA), mostraram que a fusobactéria promove a formação de tumores colorretais em animais. Além disso, observaram que as fusobactérias estão em maior quantidade no tecido colorretal humano, quando comparado com o tecido saudável adjacente.

Os resultados, publicados na revista Cell Host & Microbe, demonstram que as fusobactérias usam uma proteína para se fixar aos pólipos e cânceres colorretais e se proliferarem, e, posteriormente, aceleram o desenvolvimento da doença.

De acordo com os pesquisadores de Harvard e cientistas da University-Hadassah School of Dental Medicine, em Israel, este é o primeiro estudo a lançar luz sobre como os micróbios da boca fazem seu caminho para o intestino, e como eles localizam e se tornam abundantes em tumores colorretais. O conhecimento desses sistemas poderá levar ao desenvolvimento de uma nova terapia para esse tipo de câncer.

Fonte: Dental Press


22 de agosto de 2016

Doença periodontal e pré-diabetes são relacionadas em nova pesquisa


A doença periodontal pode contribuir para a progressão do pré-diabetes, de acordo com um estudo de uma recente publicação do Journal of Periodontology.

Um grupo de pesquisadores dinamarqueses conduziu um estudo com animais conhecidos por apresentar características de pré-diabetes e concluíram que sofrer de doença periodontal, como gengivite ou periodontite grave, pode levar o paciente a desenvolver características de pré-diabetes. Eles descobriram também que a doença periodontal pode afetar o controle da glicose e finalmente contribuir para a progressão do diabetes tipo 2.

Os sinais do pré-diabetes incluem: níveis elevados de açúcar no sangue, obesidade, inatividade, pressão sanguínea alta, colesterol alto e histórico familiar de diabetes.

O tratamento periodontal pode ser um caminho simples para prevenir diabetes ou para retardar sua progressão.

A Associação Americana de Diabetes estima que mais de 54 milhões de americanos sofram de pré-diabetes. Desses, muitos irão desenvolver diabetes tipo 2 nos próximos dez anos.

Fonte: Colgate


05 de agosto de 2016

MIS Implants agora pertence à Dentsply Sirona


A MIS Implants Technologies, uma fabricante de implantes odontológicos com sede no norte de Israel, foi adquirida pela Dentsply Sirona por US$ 375 milhões.

Cerca de quatro meses atrás, a Sirona e a Dentsply completaram sua fusão, e assim criaram a maior fabricante mundial de produtos e tecnologias profissionais odontológicos.

A MIS (Make It Simple) foi fundada em 1995 em Shlomi, Israel. A empresa tem presença forte no segmento de valor, vendendo produtos em mais de 65 países. A MIS objetiva simplificar a implantologia odontológica através de inovação e educação clínica. A marca MIS oferece uma vasta gama de soluções de implantes e próteses dentários, materiais de enxerto e cirurgia guiada.

O acordo entre as empresas cria novas oportunidades de crescimento e serviços para ambas, beneficiando clientes e pacientes pelo mundo.

Fonte: Dental Tribune


04 de julho de 2016

Nova campanha do CROSP busca conscientizar sobre a importância das visitas regulares ao dentista


Para estimular as visitas regulares ao dentista, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) lançou em maio uma campanha veiculada em praticamente todos os municípios do Estado de São Paulo.

Segundo estudo do IBGE, grande parte dos brasileiros não usa escova e pasta para a higienização dos dentes e da boca, tampouco o fio dental. Da mesma forma, é grande o contingente de pessoas que não consulta cirurgiões-dentistas com regularidade. A campanha, portanto, pretende sensibilizar a população sobre a necessidade de um “reforço” nos cuidados com a saúde bucal.

Além da produção audiovisual, o material também foi elaborado para a mídia impressa, online e radiofônica. A campanha ficará no ar até o final do mês de agosto.

O vídeo pode ser assistido em aqui.

Fonte: CR


23 de junho de 2016

Nova substância promete substituir clorexidina


Uma nova pesquisa da Universidade de Bristol desenvolveu uma substância chamada Pertinax, também conhecida como uma versão reforçada da clorexidina, com propriedades superiores a esta.

Os pesquisadores afirmam que a aplicação na esfera da odontologia é prioridade, mas que a substância terá aplicações em diversas outras áreas.

A clorexidina é um agente antimicrobiano de eficiência comprovada, muito útil na prevenção e tratamento de infecções bacterianas, mas tem deficiências que foram superadas pelo Pertinax, como o tempo de ação. Além disso, a nova substância poderá ser incorporada aos cimentos odontológicos, a fim de reduzir as taxas de falhas de restaurações e peças protéticas.

Fonte: Dental Press


28 de Abril de 2016

Neodent realiza o 4th Neodent International Congress em Curitiba


Neste ano, a Neodent propõe aos profissionais da odontologia viver novas experiências, pensar de novas maneiras e apreciar o novo, com o objetivo de construir mais qualidade de vida para as pessoas.

Pensando em mostrar ao mundo a qualidade dos profissionais brasileiros, a Neodent anuncia a realização, nos dias 16, 17 e 18 de junho, do 4th Neodent Congress, o maior congresso da área na América Latina, que será realizado no Expo Unimed Curitiba, na capital paranaense.

“Cumprindo nossa filosofia de estar sempre perto de nossos clientes, podemos, hoje, felizmente, convidar os profissionais de todo o mundo a participar desse evento, que promete ser único. Acreditamos que incentivar a disseminação do conhecimento no meio odontológico, compartilhar inovações e ouvir o que os profissionais têm a nos dizer são atividades cruciais para o nosso desenvolvimento”, diz Matthias Schupp, CEO da Neodent.

Toda grade científica está sendo criteriosamente preparada pelo Presidente do 4th Neodent International Congress, Dr. Geninho Thomé, também Presidente Científico e Presidente do Conselho de Administração da Neodent, junto com a Comissão Organizadora, composta por especialistas de peso, como Dr. Sérgio Bernardes, Vice-Presidente Científico, Dr. Carlos Araújo, Dr. Marcos Motta, Dr. Cícero Dinato, Dra. Ivete Sartori e Dra. Ana Cláudia Melo.

As inscrições e mais informações podem ser feitas e encontradas no site do congresso: www.neodentcongress.com.br

Fonte: Dental Tribune


12 de Abril de 2016

Periodontite e Alzheimer têm ligação, aponta estudo


A periodontite é uma doença comum em pessoas idosas e pode tornar-se mais frequente na doença de Alzheimer por causa da redução da capacidade de cuidar da higiene oral. Em estudos anteriores, níveis mais elevados de anticorpos contra bactérias periodontais eram associados a um aumento dos níveis de moléculas inflamatórias noutras partes do corpo, que por sua vez eram associada a maiores taxas de declínio cognitivo na doença de Alzheimer.

Em novo estudo, investigadores ingleses buscaram determinar se a periodontite está associada com o aumento da gravidade da demência e subsequentemente de maior progressão no declínio cognitivo em pessoas com Alzheimer. Foram observados 59 participantes com ligeira a moderada doença de Alzheimer. Os participantes foram avaliados cognitivamente e amostras de sangue foram retiradas para medir os biomarcadores inflamatórios no sangue. A saúde oral dos participantes foi avaliada por dentistas. A maioria dos participantes (52) foram acompanhados durante seis meses, e no fim desse período reavaliados.

A presença da doença das gengivas no início do estudo foi associado com um aumento de seis vezes da taxa de declínio cognitivo nos participantes durante o período do estudo e acompanhamento (seis meses). Os autores concluiram que a doença periodontal está associada a um aumento no declínio cognitivo na doença de Alzheimer, possivelmente devido ao mecanismos de resposta ao processos inflamatórios do organismo.

Novos estudos devem ser feitos com um grupo maior de pacientes. Os mecanismos precisos pelos quais a doença das gengivas podem estar ligadas ao declínio cognitivo não são totalmente claros e também outros fatores podem desempenhar um papel no declínio cognitivo dos participantes juntamente com a sua saúde oral.

Fonte: Dental Press


3 de Março de 2016

Tempo internação de pacientes é diminuído com presença de dentista da UTI


A implantação do Programa de Odontologia Hospitalar nos hospitais trouxe resultados significativos para pacientes. O projeto que torna-se obrigatório a presença de dentistas na Unidade de Internamento Intensivo (UTI), diminuiu 30% o tempo de internamento, consequentemente o numero de gastos com remédios, segundo os dados do Hospital Estadual Monsenhor Walfredo Gurgel (Natal-RN). Entretanto, ainda tem alguns impasses para a implantação do projeto em alguns estados.

Segundo a Dra. Teresa Morais, presidente do Departamento de Odontologia da AMIB – Associação de Medicina Intensiva Brasileira, a evolução da odontologia vem acarretando um melhor entendimento do estudo de doenças bucais e cada vez mais estudado os efeitos sistêmicos destas patologias. Pesquisas cientificas relacionam as infecções bucais a outras patologia sistêmicas, considerando como potencial para aumentar ou colaborar com o risco de outras doenças, tornando-se essencial a presença de dentistas na UTI.

O Projeto de Lei 2776/08 do Deputado Neilton Mulim (PR-RJ), em que torna-se obrigatório a presença de dentistas em todas as unidades de UTIs, foi aprovado em 2013, por unanimidade pelo Senado Federal. Pioneiro no nordeste, está atuando nas unidades de saúde desde janeiro de 2015.

Fonte: Dental Press


2 de Fevereiro de 2016

Novo material mostra-se promissor para restaurações odontológicas


Restaurações dentais freqüentemente precisam de reparação. Buscando superar esse problema, um novo estudo encontrou o óxido de grafeno como alternativa para preenchimentos mais fortes, atóxicos e que não sofram corrosão.

No estudo, uma equipe de pesquisadores internacionais investigou as propriedades citotóxicas de diferentes tipos de grafeno e sua potencial aplicação para material dentário. "A idéia do projeto foi a de adicionar grafeno em materiais odontológicos a fim de aumentar a sua resistência à corrosão e melhorar suas propriedades mecânicas," explicou a Dra. Stela Pruneanu do National Institute for Research and Development of Isotopic and Molecular Technologies em Cluj-Napoca, na Romênia.

Devido a informações contraditórias sobre a citotoxicidade do grafeno, os pesquisadores primeiro determinaram a toxicidade do material para os dentes. Para isso, eles analisaram as diferentes formas grafeno, sendo o óxido de grafeno descoberto como o menos tóxico.

"Os resultados foram muito interessantes e provaram que o grafeno é adequado para utilização em materiais dentários", disse a Dra. Gabriela Adriana Filip, Professora Associada da Iuliu Haţieganu University of Medicine and Pharmacy em Cluj-Napoca.

Os pesquisadores acreditam que as seus achados podem resultar na futura aplicação de materiais baseados em grafeno em odontologia. A equipe informou que o próximo passo para eles é fazer materiais odontológicos com óxido de grafeno e testar como eles são compatíveis com os dentes.

Fonte: Dental Tribune


07 de Janeiro de 2016

Brasil é referência em serviços para a saúde bucal e atrai turismo odontológico


O Brasil é um dos destinos mais procurados para o chamado turismo de saúde, considerado polo de atração principalmente para pacientes europeus e norte-americanos, sendo que cada um tem uma necessidade específica. O Brasil é reconhecido por sua qualidade em serviços odontológicos: em primeiro plano está a saúde bucal e, logo em seguida, a atenção à estética. “De fato, os tratamentos no nosso país são caracterizados por um refinamento estético considerado como referência no mundo inteiro. Além disso, o valor de tratamentos dentários no exterior pode ser de três a quatro vezes mais caro que no Brasil por isso, o serviço de Turismo Odontológico está se tornando cada vez mais procurado”, diz Dr. Robert Coachman, dentista e diretor da Well Clinic, em SP. O turismo odontológico do Brasil tem se mostrado uma das melhores ofertas para os estrangeiros, especialmente agora, com a alta do dólar. Seja para desenvolver negócios ou curtir as férias, os estrangeiros já aproveitam para tratar também do sorriso e da saúde bucal, com o intuito de voltar para casa com a autoestima renovada. Outros estrangeiros têm vindo ao Brasil exclusivamente para fazerem seus tratamentos, sem envolver férias ou negócios. “A ideia principal do turismo odontológico é oferecer um ‘pacote completo’, que além do tratamento dentário, inclui dicas de lazer, restaurantes, passeios, pontos turísticos e hospedagem confortável próxima ao local do tratamento”, explica Robert. Dentre os procedimentos mais procurados pelos dentistas, temos do mais básico até os mais “delicados”, tais como clareamento dental, substituição de restaurações, implantes dentários, reabilitações estéticas em resina ou porcelanas, etc. Qualidade e experiência são muito importantes no Turismo Odontológico porque, o indivíduo que escolhe pelo serviço deve ter a segurança de retornar ao seu país sem se preocupar com complicações decorrentes de um tratamento. Por isso, a intervenção deve ser devidamente planejada com a equipe clínica, de acordo com a disponibilidade de tempo do paciente e respeitando seus desejos e expectativas.

Fonte: Dental Press


15 de Dezembro de 2015

Remédio para asma pode causar erosão em dentes de leite


Um dos broncodilatadores mais utilizados para tratar pacientes asmáticos, o Sulfato de Salbutamol, sendo o mais conhecido comercialmente o Aerolin, tem efeito erosivo em esmalte e dentina de dentes decíduos. A preocupação dos pesquisadores é que outros trabalhos na literatura já alertaram que pessoas com erosão na dentição decídua têm maior risco de desenvolver erosão na dentição permanente. A erosão pode causar sensibilidade dentinária, alterações na morfologia do esmalte, com concavidades na superfície do dente, perda da altura do dente, comprometimento estético e, em casos graves, acometimento da polpa e necessidade de tratamento de canal. Essa é mais uma das razões para que os profissionais de saúde fiquem atentos aos cuidados necessários com as pessoas que usam medicamentos rotineiramente. Vários medicamentos antiasmáticos têm pH ácido e potencial erosivo, e muitas vezes faz-se uso noturno deles, o que potencialmente piora as consequências. As pessoas que usam medicações ácidas por períodos prolongados podem aumentar a ingestão de cálcio, comendo queijos, tomando iogurtes e leite, além de utilizar creme dental específico para prevenir erosão, fazer bochechos com flúor para remineralizar o esmalte ou com bicabornato de sódio para neutralizar o ácido, ou mesmo tomar o remédio com uma seringa ou canudo para que não haja contato direto com os dentes.

Fonte: Dental Press


27 de Novembro de 2015

Fusão Dentsply-Sirona fusão criará o maior fabricante de produtos dentais do mundo


A Dentsply International e Sirona Dental Systems anunciaram seu acordo de fusão definitiva, que deverá concluir-se no início de 2016. É esperado que a nova empresa seja o fabricante mundial líder em produtos e tecnologias em odontologia profissional, tendo a maior infraestrutura de serviços e de vendas no setor odontológico mundial com cerca de 15.000 funcionários em todo o mundo.

A recém-fundada empresa vai operar sob o nome de DENTSPLY SIRONA. As duas empresas manterão suas respectivas sedes. A atual sede da Dentsply de Nova Iorque vai servir como a nova sede mundial da empresa, enquanto a sede internacional será localizada em Salzburg.

Juntas, as empresas esperam gerar uma receita de cerca de US$ 3,8 bilhões (€3,4 mil bilhões) e o EBITDA ajustado de mais de 900 milhões de dólares (€796 milhões).

Além de milhares de trabalhadores em mais de 120 países, a empresa terá mais de 600 cientistas e os funcionários da área de pesquisa trabalham para acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias odontológicas, especialmente em áreas de rápido crescimento da odontologia digital e soluções integradas.

Fonte: Dental Tribune


29 de Outubro de 2015

Comissão de Políticas Públicas de Saúde do CFO se posiciona contra proibição do amálgama


Para a CPP do CFO, as justificativas apresentadas no PL de autoria do deputado Luiz Nishimori (PR-PR) para a proibição do amálgama não se justificam. A Comissão de Políticas Públicas do CFO, presidida por Marco Manfredini, aponta que não há evidências científicas suficientes para proibir o uso do material na atualidade.

A Comissão ainda sugere que o tema seja objeto de mais estudos acadêmicos e que o PL em tramitação seja discutido em audiência pública na Câmara dos Deputados com todas as instâncias gestoras dos SUS (Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretárias Estaduais de Saúde e Conselho Nacional de Secretárias Municipais de Saúde) e com as entidades nacionais de Odontologia e Saúde Pública.

A FDI e a Organização Mundial de Saúde concluíram em uma declaração de consenso em 1997 que: “Não há estudos controlados publicados demonstrando os efeitos adversos sistêmicos de restaurações de amálgama“. Outra conclusão do relatório afirma que, além de raros casos de efeitos colaterais locais de reações alérgicas, “a pequena quantidade de mercúrio liberado de restaurações de amálgama, especialmente durante a colocação e remoção, não mostraram causar quaisquer efeitos adversos à saúde”.

Fonte: Dental Press


29 de Setembro de 2015

Saliva pode ajudar no diagnóstico precoce de doença de Alzheimer


A doença de Alzheimer costuma ser diagnosticada somente em uma fase bastante tardia e as técnicas de diagnóstico podem ser muito dispendiosas e invasivas. Um estudo canadense forneceu novas evidências de que a saliva, um fluido corporal facilmente obtido, poderia ser usada para detectar alterações relacionadas ao Alzheimer. Os pesquisadores relatam que o estudo mostrou uma forte associação entre certas substâncias na saliva e sua habilidade cognitiva.

A análise dos espécimes salivares descobriu que níveis mais elevados de certos metabólitos no mal de Alzheimer e no grupo de deficiência cognitiva previram pior desempenho de memória episódica em comparação com o grupo controle. Níveis mais altos de outros metabólitos também previam velocidade mais lenta no processamento de informações, disseram os pesquisadores.

A saliva seria uma ótima opção diagnóstica, visto que é facilmente obtida, segura e acessível, mas mais pesquisas devem ser feitas para avaliar sua acurácia na detecção do declínio da atividade mental.

Fonte: Dental Tribune


7 de Julho de 2015

Risco de problemas dentários é maior em portadores de Transtorno de Ansiedade Social.

Em um estudo israelense, realizado pela Universidade de Tel-aviv, pesquisadores descobriram que a ansiedade experimentada em circunstâncias sociais eleva o risco de bruxismo, o que provoca desgaste dos dentes e fraturas, bem como dor na mandíbula.

De acordo com a pesquisa, a interação com as pessoas é susceptível de desencadear ranger de dentes nos socialmente ansiosos.

Um estudo de 2012 descobriu que em média 7,3 por cento da população mundial sofre de transtornos de ansiedade, com um aspecto nitidamente de maior prevalência nas culturas ocidentais. Fobia Social, também conhecida como transtorno de ansiedade social, caracteriza-se pelo excessivo ou irracional sentimento de medo, estresse e ansiedade em situações sociais. Ela geralmente começa nos primeiros anos de vida e causa ansiedade prolongada.

Os pesquisadores avaliaram 75 homens e mulheres com seus 30 anos via questionários. Um grupo de 40 pessoas tinha fobia social, caracterizada pelo medo excessivo em situações sociais. Pouco menos da metade dos membros do grupo estavam em uso de antidepressivos (inibidores seletivos da recaptação da serotonina). Um grupo de controle de 35 não tinha fobia social. Todos os sujeitos foram submetidos à exames dentários e psiquiátricos. Sintomas de bruxismo e hábitos orais, tais como mascar chiclete, roer as unhas e pequenos movimentos da mandíbula em contato com o dente (jaw play), foram avaliados.

A pesquisa mostrou moderado a grave desgaste dental em 42,1 por cento de portadores de fobia social e 28,6 por cento dos controles. A taxa de jaw play foi de 32,5 por cento no grupo fobia e 12,1 por cento nos controles. Os sintomas do bruxismo no sono foram relatados por 42,5 por cento dos pacientes de fobia social e por 3 por cento dos controles.

"Interação com as pessoas parece ser necessária para desencadear o bruxismo, em pessoas socialmente ansiosas", explica Winocur. "Ao tratar ansiedade social, seremos capazes de tratar o bruxismo, também." Winocur está pesquisando o efeito de distúrbios de estresse pós-traumático no sono e bruxismo acordado.

Fonte: Dental Tribune


8 de Junho de 2015

Cárie: 15% das crianças norte-americanas abaixo de 8 anos apresentam forma não-tratada da doença.

A prevalência global da cárie dentária diminuiu no mundo todo nas últimas décadas. Um relatório recentemente publicado pelos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças dos EUA indica, porém, que a cárie está presente em escolares e adolescentes, e que um número considerável não recebeu tratamento adequado. Além disso, o relatório mostra que as disparidades entre os diferentes grupos étnicos persistem no país.

Os pesquisadores da CDC descobriram que cerca de 37% das crianças com idade entre 2 e 8 anos tinha cárie dentária em dentes primários no período de 2011 a 2012, e que 14% deles tinham cáries não tratadas. Enquanto menos de um terço das crianças brancas não-hispânicas (31%) tiveram cárie dentária não tratada, o número foi significativamente maior nos hispânicos (46%) e crianças negras não-hispânicas (44%). A porcentagem de crianças que sofrem de cárie dentária não tratada foi menor naqueles com idade entre 6 e 11 anos (6%), mas as diferenças étnicas mantiveram-se. A prevalência de dentes não tratados foi maior em crianças hispânicas (9%) em comparação com não-hispânicas brancas (4%).

Segundo o CDC, cerca de 58% dos adolescentes com idades entre 12 e 19 anos tiveram cárie dental em seus dentes permanentes em 2011 e 2012, e 15% das pessoas tinha cárie não tratada. Para essa faixa etária, cáries sem tratamento também foram maiores em crianças não-hispânicas negras (21%) do que nas não-hispânicas e adolescentes (13%).

Fonte: Quase 15 por cento das crianças norte-americanas com menos de 8 anos têm cárie dentária não tratada | Dental Tribune


27 de maio de 2015

Combate ao câncer tem apostas promissoras em novas vacinas

Uma nova técnica de imunoterapia, uma vacina personalizada que ataca os tumores, mostrou sinais promissores em três pacientes diagnosticados com melanoma, a forma mais agressiva de câncer de pele.

Os resultados dessa abordagem revelam que os pacientes mostraram uma forte resposta imune, capaz de combater a doença.

Os pesquisadores da Universidade Washington de Saint Louis, nos Estados Unidos, compararam o genoma dos tumores de cada paciente com a carga genética do tecido saudável para identificar as proteínas mutantes do tumor, chamadas neoantígenos.

Usando modelos de computador, os cientistas descobriram quais desses neoantígenos poderiam obter respostas mais fortes do sistema imunológico e, a partir disso, fabricaram vacinas para cada indivíduo. No mês seguinte, exames de sangue mostraram que o sistema imune dos pacientes estava respondendo ativamente às mutações.

O grande atrativo da pesquisa é que os cientistas conseguiram, por meio desta nova técnica, conceber vacinas personalizadas, uma abordagem que pode ser promissora no futuro. No entanto, os pesquisadores ressaltam que é cedo para afirmar se ela funciona para combater ao câncer. Neste ano, estão planejados estudos com um número maior de participantes.

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/novas-vacinas-tem-resultados-promissores-no-combate-ao-cancer-entenda Dental Tribune

Fonte: Dental Tribune


15 de Abril de 2015

Empresa americana apresenta primeira pasta de dente comercial com óleo de coco

A empresa americana Greensations, especializada em produtos de higiene e beleza, lançou recentemente a Cocodent, a primeira pasta de dente comercial do mundo à base de óleo de coco.

Esse lançamento decorre de pesquisas que já demonstraram os possíveis benefícios do óleo do de côco à saúde oral, visto que ele inibe o crescimento de bactérias que causam infecções orais.

Em 2012, pesquisadores irlandeses descobriram que o óleo de coco é eficaz em bloquear o desenvolvimento da maioria das cepas de bactérias de Streptococcus, incluindo o Streptococcus mutans, que é um dos principais contribuintes para a cárie dentária.

O creme dental não contém nenhum fluoreto, substâncias químicas adicionadas, aglutinantes ou adoçantes. Baseado numa receita antiga da avó do fundador da empresa, o produto contém bicarbonato de sódio e óleo de hortelã.

O creme dental está disponível por R$ 39,25 na loja on-line da empresa, www.greensations.com. Além disso, as amostras estão disponíveis para os varejistas, os dentistas e mídia pessoal mediante pedido.

Leia mais sobre esse assunto em Dental Tribune

Fonte: Dental Tribune


26 de Janeiro de 2015

Há ligação entre perda dos dentes e declínio do corpo e da mente, diz pesquisa.

Muitos pacientes podem pensar que a falta de um ou mais dentes traz prejuízos somente para a mastigação e para a estética, mas não é bem assim.

Funções cognitivas e físicas, como a memória e a velocidade de caminhada de adultos, pioram mais rapidamente em pacientes que tiveram perda dental do que naqueles que ainda preservaram alguns dentes, descobriu uma pesquisa da UCL, publicada no Journal of the American Geriatrics Society.

Para chegar a esses resultados, os pesquisadores avaliaram cerca de 3000 pacientes com 60 anos ou mais e os testes levaram em conta um leque de fatores sociodemográficos, como problemas de saúde existentes, comportamentos de saúde, vícios, depressão, status socioeconômico, etc.

Os pesquisadores afirmam que a perda dental pode ser usada como um marcador precoce do declínio físico e mental numa idade mais avançada, entre 60 e 74 anos.

Fonte: Medical News Today


16 de dezembro de 2014

O sol pode ser um aliado para o controle da pressão alta.

Foi publicado na revista Nature um artigo que mostra os benefícios da exposição solar para a pressão sanguínea. Segundo os pesquisadores, a exposição ao sol eleva a produção de um composto - o óxido nítrico - que reduz a pressão arterial, diminuindo assim o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

Outras pesquisas já haviam revelado que as doenças cardiovasculares variam de acordo com a estação e a latitude, ou seja, o risco de doenças cardíacas aumenta no inverno e em países longe da linha do equador, onde a radiação ultravioleta é menor.

Para o experimento, os pacientes foram expostos a ultravioleta A (UVA), correspondente a cerca de 30 minutos de luz solar natural. Os resultados sugerem que a exposição ao UVA dilata os vasos sanguíneos, diminui a pressão e altera os níveis de metabólitos de óxido nítrico (substância produzida durante o seu metabolismo) na circulação.

Leia mais sobre esse assunto em oglobo.globo.com

Fonte: O globo.


10 de novembro de 2014

Os smartphones podem revolucionar os diagnósticos em saúde.

Os smarthphones estão nas mãos da maioria das pessoas e segundo Eric Topol, do instituto de pesquisas Scripps, da Califórnia, podem diagnosticar a maioria das doenças conhecidas atualmente.

Por exemplo no caso do ebola, um paciente com suspeita de portar o vírus poderia fornecer uma amostra de sangue e ser diagnosticado. Esse procedimento é possível uma vez que a técnica detecção de vírus - a de reação em cadeia de polymerase, conhecida por PCR - já está disponível para aparelhos celulares, bastando apenas um dispositivo extra para coleta e análise do sangue que é barato. A técnica de PCR técnica amplifica traços do DNA da patogenia no sangue do paciente, e "cola" uma tinta fluorescente nele. O smartphone é capaz de detectar essa fluorescência, determinando se uma amostra de sangue está contaminada ou não.

A Biomeme, empresa que está trabalhando para aperfeiçoar esse método revela que em um futuro próximo poderão fornecer meios para diagnosticar o ebola em menos de duas horas, usando apenas uma pequena amostra de sangue retirada do dedo. Além disso, os dados poderiam ser enviados a bases centrais de informação, ajudando na monitoria da expansão da doença.

A promessa é que essa tecnologia possa ser utilizada para muitas outras doenças, por meio de apps simples, pode-se medir a pressão sanguínea, o nível de açúcar no sangue ou até mesmo análise de urina.

Fonte: BBC Saúde.


15 de outubro de 2014

Neodent lança plataforma de informações de produtos para seus clientes.

Pensando em facilitar o dia a dia dos profissionais, a Neodent lançou um novo serviço proporcionar um acesso rápido e prático às instruções de uso de seus produtos: o portal para e-IFU.

Por meio do IFU (Instructions for Use), um código presente na instrução de uso do produto, o profissional terá acesso a informações pertinentes a este produto, como sua descrição, indicação de uso, contraindicação, manuseio, rastreabilidade entre outras características.

Existe a possibilidade de atualização periódica destas instruções por parte da companhia, e é possível que o profissional acesse todas as versões das IFUs, uma vez que elas ficam arquivadas no site. Além disso, a informatização destas instruções traz à tona a questão da responsabilidade ambiental, pois tendo a consciência da necessidade da economia no uso de papel, a empresa faz mais uma contribuição para a preservação da natureza.

Com um layout simples e de fácil acesso, a plataforma disponibiliza um campo onde o usuário pode digitar o código IFU do produto que deseja consultar. O resultado de sua pesquisa pode ser visualizado abaixo do campo de busca. Para verificar as informações, basta clicar no ícone IFU e às instruções abrirão automaticamente em uma nova janela. Lembrando que o código IFU está localizado na embalagem externa de cada produto Neodent.

Acesse o portal no endereço: ifu.neodent.com.br.


18 de setembro de 2014

Quer saber como está o mercado em alguma região de São Paulo? Consulte a nova ferramenta do CROSP.

Realizado com base nos dados do IBGE e do CROSP, e cálculos e projeções de uma consultoria contratada pela autarquia, o estudo mostra, entre outras coisas, quais são as regiões do estado que estão subatendidas, e outras que estão exauridas, no que tange a atuação de cirurgiões-dentistas. Todo o levantamento considera ainda diferentes faixas de renda familiar, o que colabora na compreensão de como está o “consumo” dos serviços de acordo com a renda e sua distribuição em cada um dos municípios do estado de São Paulo.

Para facilitar a consulta ao estudo, foi feito um mapa onde constam informações relevantes sobre o potencial de demanda por serviços de saúde, como a distribuição territorial de cirurgiões-dentistas e as oportunidades e/ou mercados com menores demandas e mais competição entre os profissionais.

O levantamento complementa o estudo que foi divulgado em 2013, e que mostrou quem são, onde atuam e o que pensam e esperam os mais de 100 mil cirurgiões-dentistas, técnicos em prótese dentária e em saúde bucal, auxiliares de prótese dentária e de saúde bucal e professores de Odontologia do Estado.

O estudo completo e um tutorial que explica detalhadamente como utilizar a ferramenta podem ser consultados gratuitamente em http://crosp.org.br/potencial_mercado/

Fonte: CROSP


12 de agosto de 2014

Consumo excessivo de açúcar pode trazer danos ao cérebro.

O açúcar já tem fama de vilão quando o assunto é saúde bucal, entretanto, agora os pesquisadores descobriram que a ingestão de grande quantidade de açúcar e outros carboidratos pode causar danos a estruturas e funções do cérebro.

Sabe-se que a diabetes está relacionada a danos na estrtura do hipocampo – relacionada à memória. Entretanto, agora um estudo publicado na revista científica Neurology buscou identificar se o açúcar teria esse efeito mesmo em pessoas saudáveis. O estudo foi realizado por pesquisadores do Centro Médico da Universidade Charité, em Berlim, em 141 adultos saudáveis não diabéticos. Os participantes realizaram testes de memória e passaram por exames de imagem para avaliar o hipocampo.

Níveis elevados das duas medidas de glicose foram associados com problemas de memória e redução e comprometimento da estrutura cerebral. Os cientistas também descobriram que as alterações foram parcialmente responsáveis pela associação estatística entre glicose e memória. Segundo os pesquisadores, os resultados fornecem mais evidências de que o açúcar pode contribuir diretamente para a atrofia do hipocampo, sem entretanto ser possível estabelecer uma relação causal entre esses eventos.

Os resultados indicam que, mesmo na ausência de diabetes ou nos casos de intolerância à glicose, níveis elevados de açúcar no sangue podem danificar o cérebro e interromper funções da memória. Pesquisas futuras poderão precisar como a glicose exerce esses efeitos e que intervenções dietéticas ou mudanças no estilo de vida serão mais eficazes na reversão de alterações patológicas.


09 de julho de 2014

Conheça o eMouth, um aplicativo da J&J para os profissionais de saúde.

O aplicativo eMOUTH foi desenvolvido pela Johnson & Johnson do Brasil para oferecer aos profissionais da saúde bucal informações científicas e serviços com o objetivo de facilitar seu dia a dia de trabalho. O aplicativo oferece um conteúdo variado como o portfólio de produtos completo de higiene oral da Johnson & Johnson, estudos e lâminas científicas, vídeo aulas, notícias e eventos do meio da odontologia, perguntas e respostas frequentes sobre controle mecânico e químico, entre outros temas.

O eMOUTH disponibiliza também ferramentas importantes para facilitar o contato entre dentista e paciente, como lâminas explicativas sobre os principais temas relacionados a saúde bucal, recomendação dos melhores enxaguatórios bucais baseados em possíveis diagnósticos apresentados pelo paciente, ferramenta que exibe em tempo real o mapa com a relação de farmácias onde os produtos podem ser encontrados e, por fim, uma área exclusiva de “Escalas de cor”, em que é possível consultar, de maneira ilustrativa, a escala de branqueamento, gengivite ou placa bacteriana.


04 de junho de 2014

Dentalis dispõe de um canal para os dentistas tirarem dúvidas sobre medicamentos.

Os uso de medicamentos na Odontologia é frequente, porém algumas situações que fogem do padrão podem trazer algumas dúvidas, como por exemplo, quais medicamentos anulam os efeitos dos anticoncepcionais ou ainda quais medicamentos indicar no pós operatório de extrações em pacientes com lúpus. Assim, para auxiliar os profissionais, o grupo Dentalis criou um canal de comunicação em que um professor responde essas e outras dúvidas, confira!

Fonte:www.dentalis.com.br


02 de abril de 2014

NEODENT alcança mercado internacional.

A Neodent, por meio de um comunicado de impressa, informa que iniciou em março de 2014 as operações comerciais no mercado norte-americano. A empresa curitibana fará as vendas por meio de representantes. Segundo o Dr. Geninho Thomé, co-fundador e CEO, os sistemas de implantes da marca já ganharam a confiança de mais de 30.000 profissionais na América Latina e ele prevê que com a simplicidade e versatilidade de seus produtos os implantes poderão ser o tratamento padrão nos EUA, quando o assunto é perda de dentes.

Fundada em 1998, a Neodent possui 900 funcionários, atua em mais de 10 ramos no Brasil e é uma empresa líder de mercado em seu setor. A empresa possui ainda subsidiaras em Portugal e no México.

Fonte: assessoria de imprensa.


02 de abril de 2014

Implante in Rio 2014 acontece no início de abril.

Dois dias, 16 horas, 10 dos maiores nomes da Implantodontia nacional e um único objetivo: trazer para a cidade Maravilhosa o que existe de mais atual nas áreas de Cirurgia, Prótese e Periodontia aplicados à Implantodontia, especialidade da Odontologia em constante evolução.

Além da grade científica, o Implante in Rio 2014 terá uma exposição comercial com cerca de 20 empresas expositoras, trazendo o que existe de mais moderno em equipamentos e materiais produzidos para a Implantodontia.
Mais informações: www.implanteinrio.com.br


06 de Março de 2014

3M apresenta o Pentamiz Lite, seu novo misturador de material de moldagem.

3M ESPE apresentou no encontro da Chicago Dental Society Midwinter seu novo misturador de material de moldagem: Pentamix Lite.

Por ser mais leve que suas versões anteriores, o novo equipamento pode ser transportado facilmente entre os locais de uso, além disso, possui design. Outra vantagem do produto é evitar a contaminação cruzada, pois permite o enchimento automático da moldeira com material de moldagem.

Segundo a empresa, o novo equipamento é muito fácil de operar, bastando inserir a ponta misturadora e o material de moldagem.

Fonte: Clube Dentalis.


04 de Fevereiro de 2014

Clinpro™ Prophy Powder:profilaxia adocicada!

Composto por 99% de um aminoácido hidrossolúvel chamado glicina, o Clinpro™ Prophy Powder é um produto versátil para a profilaxia, indicado para todas as especialidades e idades, pois remove eficazmente a placa bacteriana supra e subgengival, com baixa abrasividade. Pra saber mais sobre esse produto, clique aqui: www.multimedia.3m.com

Fonte: Clube Dentalis.


04 de Fevereiro de 2014

Uso prolongado de paracetamol na gravidez pode causar prejuízos para o bebê.

O paracetamol, agente analgésico e antitérmico, é uma das drogas mais frequentemente usadas por gestantes e prescritas no âmbito da Odontologia. De acordo com um estudo publicado no "International Journal of Epidemiology" demostrou que a exposição prolongada (por mais de 28 dias) pode ter efeitos prejudiciais sobre a criança.

Cientistas do Instituto Norueguês de Saúde Pública (NIPH) em Oslo e do Hospital para Crianças Doentes em Toronto compararam 3.000 irmãos do mesmo sexo aos 3 anos de idade, cujas mães haviam tomado paracetamol durante uma de suas gestações.

De modo geral, as crianças expostas à droga no útero por mais de 28 dias demonstraram habilidades motoras e de comunicação menos favoráveis e tiveram uma probabilidade maior de desenvolver problemas comportamentais. A mesma tendência foi observada quando o paracetamol foi tomado por menos de 28 dias, embora mais fraca. Não houve a associação com ibuprofeno, cujos efeitos também foram testados com propósitos de controle.

Até o momento esse é o primeiro indício da associação, assim, existe a necessidade de pesquisas adicionais.

Fonte: Clube Dentalis.


30 de Abril de 2013

J&J desenvolve novo produto para tratamento da hipersensibilidade.

Muitos pacientes chegam aos consultórios odontológicos com a queixa de hipersensibilidade dentinária, porém o tratamento muitas vezes é ineficaz.

Prometendo um alívio duradouro da dor, a Johnson&Johnson anunciou o lançamento de um novo produto no mercado europeu. O Advanced Defence Sensitive é um enxaguatório bucal diário com cristais de oxalato de cálcio, que possuem o poder de obliterar os túbulos dentinários.

Segundo a empresa, estudos in vitro mostram que o produto é capaz de obliterar 92% dos túbulos em apenas 6 enxagues. Para uma maior eficácia, é recomendado usar também uma pasta de dente para dentes sensíveis.

Fonte: J&J


28 de Abril de 2013

Kuraray lança nova versão do cimento Panavia.

Quem somos

Lançado no mercado norte-americano com o nome de PANAVIA SA CEMENT, a nova versão do cimento traz duas formas de apresentação: a automistura e a mistura manual.

Podendo ser usado para cimentar restaurações de metal, zircônia, cerâmicas híbridas e compósitos, o Panavia SA Cement permite que o excesso de material seja facilmente removido, sem traumas para a gengiva.

Segundo a empresa, o produto ainda possui uma técnica pouco sensível, resultando em alta força de adesão em dentinas secas e molhadas, bom vedamento marginal, é simples de usar pois não necessita primers, silanos ou agentes de união, além de possui flúor, que é um agente reconhecimento por promover à prevenção de cáries.

Fonte: Assessoria de imprensa.